Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

A teoria grega do "dedus salutaris"

23.11.13publicado por Gato Pardo

 

Sou o orgulhoso possuidor de um dedo médio (mais conhecido até como o Pai de Todos) altamente tonificado bem como respeitado pelos restantes quatro dedos da mão (não se curvassem eles quando o dito decide dar azo à sua opinião).

Quem se dá ao trabalho de me ler (atenção, não confundir com quem diz que lê, são duas espécies diferentes de pessoas. Uns são efectivamente malucos da mioleira que eu adoro, os outros adorariam sê-lo mas a hora do xixi cama não permite mais do que ver o canal Disney, comer os cereais e agarrarem-se ao Winne the Pooh de peluche) já sabe de antemão que tenho uma severa incontinência verbal (a urinária há de chegar mas por ora ainda estou safo). Os anos (e a chegada dos cabelos brancos) limaram algumas arestas da minha personalidade e a mais importante talvez tenha sido a despreocupação abismal das consequências de mandar alguém à m*rda. Sim, little ones. Mandar alguém à m*rda é muito feio. Don't try this at home. Mas mais feio é mesmo o arrependimento de não mandar alguém à m*rda quando merecido. E porque não? Porque fica mal? Porque é linguagem grosseira? Porque a vossa bisavó está ali ao lado e pode-lhe dar um fanico? Porra, pode-lhe dar um fanico na mesma a ver a Casa dos Segredos...

Gosto da hipocrisia das subtilezas do ser humano. Epá, não vou dizer isto porque depois sabe-se lá o que as pessoas vão pensar de mim. Pois, porque as pessoas são fantásticas a julgar os outros.

Exibo neste preciso momento uns fantásticos 36 anos, 1m75cm e 71 kgs de "i really don't give a flying, walking, driving or sailing f*ck...".

Nem sempre foi assim. O que significa que perdi anos de vida, cigarros fumados, café consumido e alcoolemia ingerida baseada numa forma de estar errada. Let's face it, o mundo não é simpático para com aqueles que dizem as coisas como elas são. Daí a expressão "paninhos quentes". Também se perde muita gente pelo caminho que não têm estrutura mental para lidar com as verdades que negam a eles mesmos. Tenho pena dessas pessoas. Ou então não. Penas têm as galinhas. Grow up.

Anos atrás alguém me disse a seguinte frase...

"Vive de acordo com a tua vontade. No dia que te sujeitares a vontades alheias, you're as good as dead. Ninguém muda por imposição. Apenas por cedência ou fraqueza. Uma é válida, a outra é cobardia."

Foi o canto do cisne. A consequência foi torcer o pipo ao cisne... Era verdade, não gostei de ouvir mas foi um abrir de olhos.

Voltando ao busílis da questão, a minha personalidade é o perfeito exemplo do "dedus salutaris". Se é para mandar à m*rda, seja. Done. Um dia quando tiver mais uns anos no lombo não quero acordar e arrepender-me de não ter mandado à m*rda quem merecia. O arrependimento mata. E embora eu tenha 7 vidas ( e já não me restam todas visto que já hipotequei umas quantas), não quero viver as restantes a pensar no que devia ter feito. Quero viver a pensar naquilo que ainda desejo fazer. E isso inclui ainda mandar muita gente à m*rda. Porque a minha maneira de ser além de sui generis, não é bem vista aos olhos de tanta gente.

Hipocrisia, manipulação, jogos de espelhos, sombras e meias palavras?

Bla, bla, bla...Conheço essa m*rda de ginjeira...